Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Ilações sobre os transportes públicos

07.04.10publicado por Gato Pardo

Os transpostes públicos portugueses são deveras curiosos...

As agruras que um tipo passa para chegar do ponto A ao ponto B são equivalentes à percentagem de sucesso de um homem descobrir o ponto G numa mulher sem antes ter passado 6 meses a ler os livros do Onde Está o Wally, versão ginecológica...

Tomemos o metro, por exemplo...Eu ainda sou do tempo em que não só o Skip custava uma ninharia, como o dito metro tinha uma dezena de estações...Hoje em dia, se entrar nos calabouços metropolitanos, não só vejo estações com nomes tão maravilhosos como Sr. Roubado (se a estação fosse no Parque Eduardo VII, podia ser também o Sr. Sudomizado à bruta ou o Sr. Falo do Cutileiro...) como me sinto perdido só de olhar para o diagrama da actual rede...Um tipo ter de entrar e sair meia dúzia de vezes para mudar de linha para chegar ao destino é uma espécie de experiência de sexo tântrico...Quando um gajo julga que a "viagem" está no término, eis que um tipo tem de mudar de linha e tudo começa novamente...É essa a verdadeira razão pela qual tanta gente se sente f*dida (e não no bom sentido da palavra, entenda-se...) a andar no metro...

Se abordar os táxis, aí a coisa pode ser excelente ou péssima...Muitos anos atrás, era passageiro habitual de um taxista, que me levava do ponto A (trabalho) para o ponto B (de borga...) em menos de 15 minutos...Nada de especial, tirando o facto que o homem conhecia melhor Lisboa do que provavelmente o ponto G da mulher (isto partindo do princípio que ele não ter tido a formação Wallyana...)...

Hoje em dia, apanhar um táxi é um exercício à capacidade de sofrimento de um indivíduo...A última vez que apanhei um táxi no Aeroporto de Lisboa, pedi para ser levado ao centro de Lisboa, uma distância de cerca de 8km...Quando dei por mim, estava na A8 a caminho de uma casa de alterne em Leiria...Aprendi a especificar que por Lisboa, não me referia à cidade do Lis nem a nenhuma gaja boa...Ainda bem que não lhe roguei nenhuma praga, senão por esta altura estaria na República Checa...

Nos autocarros, o que me suscita curiosidade é os destinos que algumas carreiras têm...Uns tempos atrás, estava eu a fumar o belo do meu cigarro, quando vejo uma carreira da Transportes do Sul do Tejo com o destino invulgar de "Cova da Piedade via Pavilhão"...

Primeiro que tudo, as minhas sentidas condolências à D. Piedade...Nada me move contra a dita senhora, mas se eu apanhasse o autocarro, certamente não era para ir ver o jazigo da senhora...E via Pavilhão???Epá, mas vocês já imaginaram o que é os putos estarem a meio de uma aula de educação física e verem um autocarro a entrar pelo pavilhão dentro???Já imagino os putos a fumar brocas nas traseiras do pavilhão a comentar...

- Yá, méne...Esta broca é mesmo do best...A semana passada só via coelhinhos cor de rosa a sudomizarem galinhas...Hoje, já vejo autocarros a entrarem pelo pavilhão...

- Não, pá...A semana passada era Páscoa...Havia mesmo coelhinhos a sudomizarem galinhas...

- Ih, méne...Então a da semana passada não bateu...Esta é mesmo fixe...

Pior mesmo, é se o autocarro entrar pelo pavilhão do centro dos reformados ali da zona...Tal vai ser o cagaço que vai pregar aos velhotes, que vão ter de arranjar uma placa maior onde possa dizer "Cova da Piedade, do Vitor, do Manel, da Jaquina, da Tia Emília, da Lucrécia..."...